NOTAER - Agosto de 2015

  • View
    233

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

ELA VOLTOU!

Text of NOTAER - Agosto de 2015

  • ISSN 1518-8558www.fab.mil.br Ano XXXVIII N 08 Agosto, 2015

    PSTER NA CONTRACAPA XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXPSTER NA CONTRACAPA Conhea os avanos que o projeto Link BR2 vai oferecer aviao militar.

    Esquadro Poti retoma treinamento de navegao entre obstculos e de combate areo. (Pg. 06)

    De devedor propri-etrio de imveis. O exemplo de quem adotou a disciplina e o rigor com as contas. (Pg. 13)

    Como o servio Ptria oferece oportunidades aos jovens. (Pg. 05)

    SOMOS TODOS SOLDADOS

    OPERACIONAL SEU DINHEIRO

    Esquadrilha da Fumaa retoma agenda e volta a encantar o pblico. Saiba como foram os dois anos de implantao

    operacional e logstica para voltar a fazer acrobacias no cu com uma nova aeronave: o A-29 Super Tucano. (Pgs. 08 e 09)

    ELA VOLTOU!

    FOTO

    : SGT

    JOHN

    SON

    / CEC

    OMSA

    ER

  • FOTO

    : SGT

    JOHN

    SON

    / CEC

    OMSA

    ER

    2 Agosto - 2015

    CARTA AO LEITOR

    PENSANDO EM INTELIGNCIA

    Impresso e Acabamento:

    Log & Print Gr ca e Logsti ca S.A.

    ExpedienteO jornal NOTAER uma publicao mensal do Centro de Comunicao Social da Aeronuti ca (CECOMSAER), voltado ao pblico interno.

    Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Pedro Lus Farcic

    Editora: Tenente Jornalista Jussara Peccini (MTB 01975SC)Editora adjunta: Tenente Jornalista Cyn-thia Fernandes (MTB 2607GO)

    Reprteres: Tenentes Jornalistas Cynthia Fernandes, Danielli Gruppi, Evellyn Abelha, Flvia Cocate, Flvio Nishimori, Gabrielli Dala Vechia, Humberto Leite, Iris Vasconcellos, Jussara Peccini, Lorena Molter, Raquel Alves, Raquel Sigaud e Ta-ciana Moury; e Tenentes Relaes Pblicas Camilla Barbieri e Brenda Alvarez.

    Colaboradores: textos enviados ao CECOMSAER via Sistema Katan.

    Reviso: Cynthia Fernandes, Gabrielli Dala Vechia, Evellyn Abelha, Flvio Nishimori e Humberto Leite.

    Diagramao e infogr cos: Subo cial Cludio Ramos; Sargentos Emerson Linares, Santi ago Moraes e Lucemberg Nascimento.

    Tiragem: 30.000 exemplares. Esto autorizadas transcries integrais ou parciais das matrias, desde que mencio-nada a fonte. Endereo: Esplanada dos Ministrios - Bloco M 7 andar CEP - 70045-900 / Braslia - DF

    Tem um comentrio, sugesto de reportagem

    ou crtica?

    Fale com a gente!

    Quer ver sua unidade no NOTAER?

    Aguardamos seu email redacao@fab.mil.br

    Comandante da Marinha conhece os produtos do CECOMSAER

    Esta edio do Notaer est pontuada por reportagens cujos assuntos so dignos de comemorao. O primeiro de-les, sem dvidas, o retorno da Esquadrilha da Fumaa. Depois de mais de dois anos em treinamento para a im-plantao da aeronave A-29 Super Tucano, a Fumaa vol-tou a encantar o pblico com suas manobras arrojadas pe-los cus do Brasil. J h inclu-sive uma agenda de demons-traes. No prximo dia 23, a Esquadrilha se apresenta nos Portes Abertos da Academia da Fora Area (AFA).

    No mesmo dia 23, ce-lebramos o Dia da Inten-dncia. Nesta edio, duas reportagens destacam o trabalho efetuado na rea contbil e operacional.

    No poderamos deixar tambm de exaltar o Dia do Soldado, celebrado em 25 de agosto, tema de uma de nos-sas reportagens. A FAB conta hoje com cerca de 24 mil sol-dados. Alm de proporcionar a esses jovens a oportunidade de uma carreira militar, a For-a Area tambm se preocu-pa com o futuro deles aps o trmino do servio ati vo. Por isso, vrios projetos, como o Pronatec, em parceria com outros rgos do governo fe-deral, so desenvolvidos para quali c-los e oferecer mais condies para regressarem ao mercado de trabalho.

    Outro assunto digno de co-memorao a consolidao da FAB TV. Em trs anos de ati -vidades, conseguimos ati ngir a marca de mais de 7 milhes

    de visualizaes. Mas no pa-ramos por a. Os programas foram reformulados e trazem novidades, como a mudana de cenrios. Fao aqui o con-vite para que as organizaes militares acessem a FAB TV, utilizem esse material e di-vulguem, pois o trabalho de cada um de ns que est retra-tado nas reportagens.

    Tambm queremos incen-ti var o estudo. O ITA est com inscries abertas para o vesti -bular 2016. um insti tuto de excelncia e fundamental para

    Retomada e oportunidades

    o futuro do Pas. Os projetos de estudantes e professores des-critos aqui podem inspirar jo-vens a optar pela engenharia.

    Alm desses assuntos, preparamos matrias sobre educao nanceira, a hist-ria de superao do militar que vai atravessar o Canal da Mancha e o exerccio binacio-nal entre Brasil e Colmbia.

    Boa leitura!

    Brig Ar Pedro Lus FarcicChefe do CECOMSAER

    O golpe conhecido como pirmide financeira no saiu da pauta e conti nua sen-do aplicado Brasil afora com variaes que vinculam a par-ti cipao no sistema de consu-mo de algum ti po de servio ou material, ou ainda, sob a forma de uma delizao, semelhante quelas empregadas em programas ou clubes.

    Mas o que

    uma pirmide nanceira? um esquema em que o indiv-duo faz um nico pagamento e recebe a promessa de que, de alguma forma, ir receber benefcios exponenciais de outras pessoas como recom-pensa.

    Os esquemas do ti po pi-rmide nanceira rece-

    bem este nome em razo da forma

    como o siste-ma re-

    presen-tado

    graficamente. Os recm--ingressos formam a base. Os que possuem mais tempo consti tuem o topo. O sucesso fundamentado no recruta-mento de novos adeptos que obrigatoriamente realizam o pagamento de uma determi-nada quanti a de dinheiro aos scios anti gos.

    O problema que, para ningum perder dinheiro, o ci-clo teria que ser interminvel, o que impossvel, uma vez que o nmero de pessoas ser sem-pre limitado. Como consequn-cia, o esquema dura pouco e as promessas no se cumprem. Quando a cadeia quebra, a maioria das pessoas perde tudo o que aplicou, com exce-o do idealizador do golpe e de algumas poucas pessoas.

    O recrutamento de novos membros consiste no con-vencimento e na criao, por meio de referncias, testemu-nhos e informaes falsas, da iluso de que ele ir ganhar muito dinheiro.

    Fica o alerta: pirmide -nanceira consti tui crime con-tra a economia popular, ti pi- cada no inciso IX, art. 2, da Lei 1.521/51.

    A recomendao de no parti cipar de empreendimen-tos dessa natureza e sempre realizar uma pesquisa sobre a empresa que oferece o ser-vio nos rgos de defesa do consumidor. Em resumo, que atento s ofertas de lu-cro fcil e em curto prazo de tempo. (Centro de Intelign-cia da Aeronuti ca)

    No caia na promessa do dinheiro fcil

  • Em essncia, somos todos soldados. Do mais anti-go ao mais moderno militar da Fora Area Brasileira, o compromisso o mesmo: dedicar-se inteiramente ao servio da Ptria, inclusive, se preciso for, com o sacrif cio da prpria vida.

    Aos soldados tambm cabe o esforo braal, o traba-lho rduo, o cumprimento efe-ti vo de todas as ordens emana-das. Certamente, os mais de 24 mil soldados do nosso efeti vo devem ser lembrados em 25 de agosto, mas tal forma de encarar o servio militar deve ser inerente a todos os homens e mulheres que vestem uma farda. Por esse moti vo, o Dia do Soldado deve ser comemo-rado por todos, dos recrutas aos o ciais-generais.

    Comemorar o servir nos faz re eti r sobre a vida mili-tar, sobre o orgulho que da-mos sociedade, s nossas famlias e a ns mesmos. E, no ms de julho, durante os Jogos Pan-Americanos reali-zados no Canad, discuti u-se sobre a conti nncia Bandei-ra Nacional prestada pelos atletas militares. Nada po-deria ser melhor para reno-varmos nossa compreenso sobre este gesto.

    A saudao t pica dos mi-litares, mais que um item dos nossos regulamentos, repre-senta o respeito nossa P-tria e nossa Bandeira. Ouvir nosso Hino e ver o verde e amarelo no topo , sem dvi-da, moti vo de orgulho.

    Orgulho, alis, o que de-vemos ter por nossos atletas militares. Dos 590 competi -

    dores brasileiros nos jogos Pan-Americanos, 123 eram militares, sendo 39 da Fora Area Brasileira. E no esta-mos tratando apenas de atle-tas convocados - fundamen-tais para elevar o nome e os valores das Foras Armadas - mas tambm de sargentos e o ciais de carreira.

    Esses notveis resulta-dos so excelentes, e repre-sentam uma pequena parte do nosso trabalho. Nossas atividades operacionais, mesmo que algumas vezes mais discretas que um pdio, continuaro a pleno vapor neste segundo semestre. J em julho ti vemos mais uma Operao gata, e tambm o exerccio de defesa area binacional Colbra, realizado em parceria com a Colmbia. Para os prximos meses, te-mos agendadas as Operaes Atlnti co e Perbra, alm de inmeros exerccios opera-cionais de nossas unidades areas, terrestres e de apoio.

    Tudo isso, a dedicao do soldado, as medalhas dos atletas e as aeronaves em ao, ocorrem graas ao esforo prestado por aque-les que tambm so funda-mentais para a Fora Area Brasileira: os intendentes. No dia 23 de agosto, Dia da Intendncia, queremos reconhecer o papel destes profissionais que contri-buem para encontrarmos alternativas para aumentar a eficincia na gesto.

    Sigamos juntos, traba-lhando lado a lado para cum-prirmos a misso consti tucio-nal da Fora Area Brasileira.

    FOTO

    : SGT

    BAT

    ISTA

    / CEC

    OMSA

    ER3Agosto - 2015

    PALAVRAS DO COMANDANTE

    Por uma s fora

    Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz RossatoComandante da Aeronutica

  • PORTES ABERTOS

    FOTO

    : SGT

    BAT

    ISTA

    / CEC

    OMSA

    ER

    4 Agosto - 2015P

    RO

    MO

    O D

    E O

    FIC

    IAIS

    -GE

    NE

    RA

    IS |

    31 J

    ULH

    O 2

    015

    Mais de 30 mil pessoas passaram pela Base Area de Campo Grande (BACG) para conhecer de perto as aeronaves da FAB. As sete toneladas de alimentos, arrecadadas nos dias 04 e 05 de ju-lho, foram doadas para insti tuies cadastradas no servi